Crítica | Belo desastre

por Jenyffer Dias
Belo desastre é uma adaptação literária, um filme baseado no livro de mesmo nome da Autora Jamie McGuire, livro este, que foi um dos precursores do gênero Young Adult aqui no Brasil e um grande fenômeno de vendas e leitores.  

DADOS TÉCNICOS

Onde assistir: Prime vídeo
Duração: 01h35
Classificação indicativa: 14 Anos.
Gênero: Romance
Sinopse: Abby Abernathy (Virginia Gardner) acredita que já está bem distante de seu tumultuado passado, mas quando ela chega à faculdade com sua melhor amiga America (Libe Barer), seu caminho para um novo começo é colocado em risco por um cara chamado Travis Maddox (Dylan Sprouse).  Intrigado com a resistência da garota, Travis faz uma aposta com ela: Se ele sofrer algum golpe na sua próxima luta, ele ficará três meses sem relações sexuais com ninguém. Porém, se ganhar, Abby terá que morar com ele e o colega de quarto (Austin North) por um mês.

TRAILLER

MINHA OPINIÃO

Eu queria muito assistir esse filme no cinema, mas infelizmente ele entrou e saiu de cartaz muito rápido, o que poderia ser um indício da falta de popularidade da adaptação, que inclusive, achei meio tardia.
O livro fez muito sucesso em 2012, quando a editora Verus fez o lançamento aqui no Brasil e foi um dos primeiros do gênero Young Adult e abriu caminho para tantos outros que vieram na sequência.
Eu era uma das maiores fãs desse livro, panfletei para muita gente, fui na sessão de autográfos quando a autora veio ao Brasil e comprei quase todos os livros do mesmo universo que vieram depois, porém, ele envelheceu mal para mim, comecei a enxergar diversas problemáticas na história mas principalmente com a autora (assunto para outro post), por isso não quis reler para não estragar o sentimento de carinho que eu tenho pelos personagens.
Eu assisti a adaptação sem muitas expectativas e com a mente aberta para mudanças, o que foi até positivo para a minha experiência.
Achei um filme muito bom, engraçado, leve e ótimo para passar o tempo mas nada marcante que valha pressionar a produtora para uma possível continuação;

É praticamente um filme de sessão da tarde, porém com umas cenas mais quentes (inclusive a bunda do Dylan aparece algumas porções de vezes)

 

  • Escolha dos atores60
  • História / Enredo80
  • Personagens secundários80
  • Fotografia90
  • Trilha Sonora80
3.5/5

A atriz que faz a Abby (Virginia Gardner) é bem do jeitinho que imaginei, carinha de anjo que passaria bem por uma menina angelical sem passado misterioso como bagagem.
Já o ator que faz o Travis (Dylan Sprouse) não é nada parecido com minha imagem de BadBoy lutador de faculdade, mas como disse antes, isso não é algo que me incomoda muito, quando o assunto é característica física, eu não me apego muito, priorizo mesmo a fidelidade à personalidade dos personagens e isso também faltou um pouco.

A Abby do livro é muito mais impulsiva e forte, uma mulher que toma as decisões dela e segue firme. Ela diz não para o Travis tantas vezes que ele não tem opção a não ser aceitar, já no filme, ela parece bem caidinha por ele em diversas situações.
O Travis tem a personalidade bem parecida com o do livro, irritante, petulante, se acha…
Mas levaram bem à sério o apelido Cachorro Louco Maddox e em algumas cenas ele simplesmente parece um doido, descontrolado e não sei se gostei tanto dessa faceta dele.

OS PERSONAGENS SECUNDARIOS

No livro o primo do Travis, Shepley e a sua namorada, America, que é melhor amiga da Abby, são extremamente importantes e aparecem com muita frequência, e eles até tem alguns momentos de tela no filme mas gostaria de ver um pouco mais, talvez se a adaptação fosse uma minissérie ao invés de um filme, eu teria isso, mas por se tratar de um tempo mais curto, entendo a quantidade de vezes que eles apareceram, e eu até ri em algumas delas.

Os irmãos Maddox também aparecem, de um jeito meio cômico mas legal ao mesmo tempo, gostei de vê-los mas não gostei muito da aparência deles, achei que foi somente uma escolha aleatória sem muito critério ou cuidado.

O Parker foi de longe o personagem mais diferente em questão de personalidade, para quem leu os livros sabe que ele é tão arrogante quanto o Travis, e jamais demonstraria tanto medo dele na frente do próprio Travis.
Ele parecia um concorrente de fato e não um homem descartável só para servir de obstáculo ao casal.
E convenhamos, depois de uma determinada cena em que ele quase corre de medo do Travis, eu perderia completamente meu respeito por qualquer ser humano que se comportasse igual, rs;

No geral eu fiquei feliz que um livro que eu gostei por tanto tempo ganhou sua versão em filme, gostei que mudaram um pouco da personalidade toxica do Travis e algumas mudanças no enredo foram bem-vindas, mas no geral fiquei mais feliz mesmo que eu não gastei meu dinheiro pra ver esse filme no cinema ou alugando ele nas plataformas digitais antes que ele ficasse disponível no Prime Video.
Como eu disse é um bom filme, mas não achei que foi uma boa adaptação, feita com cuidado e carinho para os fãs do livro.

E você, já assistiu ou leu o livro?
Me conta aqui nos comentários o que você achou!

Se ainda não, recomendo que leia (O livro está disponível no Kindle Unlimited) e veja o filme no Prime Vídeo.

Dá pra assistir tranquilamente sem ler também, mas a história do livro é mil vezes mais intensa.

Leia também

2 comentários

Sâmara Rocha 12 de julho de 2023 - 16:07

Esperamos tanto por esse filme, que meu Deus!! rsrs
Concordo muito em relação ao Parker, decepção total!

Responder
Jenyffer Dias 14 de julho de 2023 - 11:56

Nossa amiga, o tanto que falamos desse livro não ta escrito né?
Estou feliz que estão adaptando nossos livros favoritos mas poderiam fazer com mais carinho né? kkk

Responder

Deixe um comentário

Leituras de 2023